plant based

França bane palavra carne dos produtos plant based

Compartilhar

França bane palavra “carne” dos produtos plant based. Associação dos Criadores de Nelore do Brasil defende ajustes na lei brasileira para esclarecer os consumidores.

Veja também: Ligação estranha entre comer peixe e câncer de pele

Acompanhe-nos no Facebook

O governo da França, um dos maiores mercados de alimentos do mundo, assinou decreto que proíbe o uso de nomes de ‘carne’ como “bife” e “salsicha” em alimentos proteicos à base de plantas.

A França é o primeiro país da União Europeia a fazer tal movimento, que se espalha pelo mundo com o objetivo de bem-informar e não confundir a cabeça dos consumidores. “Não será possível usar terminologia específica do setor tradicionalmente associada à carne e peixe para designar produtos que não pertencem ao mundo animal e que, em essência, não são comparáveis”, diz o decreto oficial.

A associação francesa da indústria de carnes (Interbev) divulgou que “este é um primeiro passo em território francês, pioneira na proteção de seus nomes, que deve ser estendida em nível europeu”.

“Quando esta proibição ocorrerá no Brasil? E até quando os pecuaristas brasileiros aceitarão passivamente esta propaganda enganosa? Está na hora de reagirmos. Devemos reivindicar para que seja praticada a verdade. Se plant based não é carne – aliás, são alimentos super processados, cujos efeitos ainda não estão claros no organismo –, então não pode ser denominada como carne. Simples assim”, assinala o cardiologista e pecuarista Nabih Amin El Aouar, presidente da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), entidade que reúne os criadores da raça Nelore no país.

Nabih destaca que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) realizou, por meio da Portaria nº 327, de 2 de junho de 2021, consulta pública para a tomada de subsídios para a regulamentação dos produtos processados de origem vegetal. Por iniciativa da ACNB, a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Carne Bovina, com respaldo do Prof. Dr. Sérgio Pflanzer (FEA/UNICAMP), elaborou documento, no qual foi pontuada “a importância da regulamentação do assunto, especialmente visando impedir a utilização de nomes, definições e argumentações que possam confundir ou enganar o consumidor”. Destacou ainda a diferença quanto a diversos aspectos nutricionais dos produtos que se dispõem a ser análogos às proteínas animais, “além de reafirmar que, por ser produtos muito diferentes, os chamados plant based não podem receber os mesmos nomes dos produtos de origem animal já plenamente conhecidos pelos consumidores e regulamentados pelo MAPA”, informa o presidente da ACNB.

“Assim como o governo da França, está na hora de o governo brasileiro, por meio do MAPA, se posicionar sobre o tema. Nossos objetivos principais são dois: mostrar que plant based não é carne e fornecer a correta informação para os consumidores”, explica Nabih Amin El Aouar.

Fonte: Compre Rural. Imagem principal: Depositphotos (Meramente ilustrativa).

*Se o artigo ou imagem foi publicado com base no conteúdo de outro site, e se houver algum problema em relação ao conteúdo ou imagem, direitos autorais por exemplo, por favor, deixe um comentário abaixo do artigo. Tentaremos resolver o mais rápido possível para proteger os direitos do autor. Muito obrigado!

*Queremos apenas que os leitores acessem informações de forma mais rápida e fácil com outros conteúdos multilíngues, em vez de informações disponíveis apenas em um determinado idioma.

*Sempre respeitamos os direitos autorais do conteúdo do autor e sempre incluímos o link original do artigo fonte. Caso o autor discorde, basta deixar o relato abaixo do artigo, o artigo e a imagem será editado ou apagado a pedido do autor. Muito obrigado! Atenciosamente!

*If the article or image was published based on content from another site, and if there are any issues regarding the content or image, the copyright for example, please leave a comment below the article. We will try to resolve it as soon as possible to protect the copyright. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content and image of the author and always include the original link of the source article. If the author disagrees, just leave the report below the article, the article and the image will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: