febre aftosa

Vacinar ou não contra febre aftosa?

Compartilhar

A importância da vacinação contra a febre aftosa.

Veja também:

Febre aftosa: O que é? O que causa? Como é transmitida? Sintomas e tratamento

Austrália em alerta com aumento de casos de febre aftosa

Acompanhe aqui todas as nossas matéria no facebook

O aumento das epidemias causadas por zoonoses neste século há tempos eram previstos pelos cientistas. Com a maior exploração da natureza e dos territórios é inevitável que os seres humanos tenham contatos com vírus presentes em animais.

Mas o fato de novas doenças surgiram, como a recente Covid-19, não significa que devemos fechar os olhos para aquelas já amplamente conhecidas que contam com vacinas e tratamentos efetivos.

A febre aftosa é uma antiga conhecida dos produtores da pecuária. Se nós humanos a infecção é leve e sem riscos, para os rebanhos de bovinos a febre aftosa significam enormes prejuízos, sendo fundamental adotar medidas para combatê-la.

Nesse artigo vamos te contar mais sobre essa doença e a importância de manter a vacinação contra a febre aftosa em dia. Vem com a gente!

Mas afinal, o que é a febre aftosa?

A febre aftosa é uma doença contagiosa capaz de afetar tanto animais quanto as pessoas, tendo maior incidência entre os bovinos.

Nas pessoas, o risco da doença é baixo e quando ocorre o contágio provoca algumas aftas e febres. Para os bovinos, contudo, a febre aftosa pode ser fatal.

 O desenvolvimento de aftas prejudica a alimentação do animal, sendo que em algumas espécies pode haver lesões no casco. É comum que o animal contaminado fique magro, podendo morrer de inanição.

Entre o gado a doença é altamente contagiosa, bastando que um exemplar ser contaminado para condenar todo o rebanho.

A perda de cabeças de gado por conta da doença prejudica as exportações e a oferta interna dos alimentos derivados de bovinos. Não raro quando há surtos da febre aftosa, os preços disparam nos mercados.

A importância da vacina contra a febre aftosa

Embora a doença não seja uma novidade em nosso território, ainda hoje as autoridades sanitárias e o de setor agrário travam uma luta para erradicá-la do país.

A principal estratégia para o combate da doença é a vacinação dos rebanhos, que deve ocorrer em todas as propriedades nos períodos estabelecidos.

É fundamental, contudo, que além de obedecer ao calendário de vacinação, o pecuarista tome os seguintes cuidados:

Adquirir a vacina somente em estabelecimentos credenciados;

Tomar as medidas necessárias para a conservação, transporte e armazenamento da vacina;

Durante a vacinação usar somente materiais esterilizados e agulhas com o calibre adequado;

Aplicar a vacina no local recomendado;

Ter boas práticas para manejo adequado dos animais no brete.

Vale reforçar que nos últimos anos houve avanço considerável na prevenção da febre aftosa tanto no Brasil quanto na América do Sul. Em especial em regiões consideradas endêmicas.

O Programa Nacional de Erradicação e prevenção da Febre Aftosa tem como objetivo fazer com que o país avance para o status de país livre da febre aftosa sem vacinação. Para isso, as boas práticas dos produtores são fundamentais.

Caso esse objetivo seja conquistado à carne brasileira será valorizada, ganhando ainda mais prestígio junto ao mercado internacional.

O blockchain valoriza seu rebanho

Para além das medidas de prevenção, adotar processos de controle e rastreabilidade é muito importante para os produtores.

Com a tecnologia blockchain é possível registrar todo o ciclo de vida dos exemplares do rebanho, incluso aí o histórico de vacinação. É mais segurança e confiabilidade para o produtor, para os frigoríficos e para os consumidores.

Continue acompanhando nosso blog para saber mais sobre como a tecnologia blockchain pode contribuir com o agronegócio, e curta nossas páginas nas redes sociais para ficar por dentro de todas as novidades da Ecotrace. Até a próxima!

 Referências: Folha Agrícola / Agrolina / Campo Grande News / Canal Rural / Boehringer-ingelheim.

Fonte: Ecotrace. Imagem principal: Depositphotos.

*Se o artigo ou imagem foi publicado com base no conteúdo de outro site, e se houver algum problema em relação ao conteúdo ou imagem, direitos autorais por exemplo, por favor, deixe um comentário abaixo do artigo. Tentaremos resolver o mais rápido possível para proteger os direitos do autor. Muito obrigado!

*Queremos apenas que os leitores acessem informações de forma mais rápida e fácil com outros conteúdos multilíngues, em vez de informações disponíveis apenas em um determinado idioma.

*Sempre respeitamos os direitos autorais do conteúdo do autor e sempre incluímos o link original do artigo fonte. Caso o autor discorde, basta deixar o relato abaixo do artigo, o artigo e a imagem será editado ou apagado a pedido do autor. Muito obrigado! Atenciosamente!

*If the article or image was published based on content from another site, and if there are any issues regarding the content or image, the copyright for example, please leave a comment below the article. We will try to resolve it as soon as possible to protect the copyright. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content and image of the author and always include the original link of the source article. If the author disagrees, just leave the report below the article, the article and the image will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: