boi gordo

Arroba do boi gordo pode disparar

Compartilhar

Pecuaristas precisam tirar o boi do mercado já que os frigoríficos pararam de comprar por ter escalas de abate confortáveis. Arroba do boi gordo pode disparar.

Agron Home

Veja também: Como fazer uma boa adubação de pastagens para bovinos

A arroba do boi gordo teve um dia de estabilidade nesta terça-feira, 11, em todas as praças pecuárias avaliadas. Conforme esperado, o movimento de alta vai perdendo força diante das escalas mais confortáveis e a chegada do Ano Novo Lunar na China. Além disso, o mercado interno segue com escoamento mais travado, lembrando que janeiro é um mês de menor consumo pelo brasileiro.

A tendência da alta nos preços do boi gordo perdeu força, abrindo espaço para que as indústrias pressionem e testem ofertas abaixo da referência em algumas praças pecuárias, mas ainda sem sucesso nas concretizações das negociações. O pecuarista agora, precisa limitar a oferta de animais para abate, negociando lotes menores e pressionando os preços da arroba. Se não tiver esse “jogo”, os preços podem ter uma retração nos próximos dias.

Segundo análise da Scot Consultoria, na praça paulista, os preços permaneceram estáveis na comparação diária. O mercado esteve menos comprador nesta terça em função das escalas relativamente confortáveis. As cotações do boi, vaca e novilha gordos estão em R$338,00/@, R$310,00/@ e R$327,00/@, nessa ordem, preços brutos e a prazo.

O ágio para bovinos com destino à exportação chega a R$15,00/@, sendo assim as negociações para bovinos até quatro dentes, o “boi China”, negócios seguem firmes e com valores de até R$350,00/@. Segundo o app da Agrobrazil, os pecuaristas de Bebedouro/SP, venderam boiada para o exportação por R$ 350,00/@ com pagamento à vista e abate para o dia 21 de janeiro de 2022.

Sendo assim, em São Paulo, o valor médio para o animal terminado apresentou uma média geral a R$ 343,44/@, na terça-feira (11/01), conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil. Já a praça de Goiás teve média de R$ 328,18/@, seguido por Mato Grosso Sul com valor de R$ 320,35@. E em Mato Grosso, a média fechou cotada a R$ 334,63/@.

O preço do Indicador do Boi Gordo/CEPEA, apresentou um leve recuo no fechamento de ontem, deixando uma variação negativa de 0,83% na comparação mensal. Sendo assim, os preços da arroba do boi gordo na média paulista saltaram de R$ 339,00/@ para o valor de R$ 333,70/@.

Outro destaque nas cotações de ontem foi a negociação para a categoria das novilhas que atingiu o valor de R$ 350,00/@ com prazo de sete dias para pagamento e abate para o dia 17 de janeiro. A negociação aconteceu na praça paulista de Regente Feijó.

Na B3, o contrato futuro do boi gordo com vencimento para jan/22, encerrou o dia cotado a R$ 339,25/@, desvalorizando -0,47% no comparativo diário.

Mercado interno patinando

Apesar dos embarques ao exterior continuarem aquecidos, os frigoríficos relatam problemas com escoamento da carne bovina no atacado/varejo devido ao fraco consumo doméstico e aos preços elevados da proteína.

Segundo os analistas, os preços das carnes concorrentes (frango e suínos) registraram novas quedas significativas nesta terça-feira, o que deve prejudicar ainda mais a venda da carne bovina no mercado doméstico.

Segundo a IHS, grande parte dos negócios efetivados no mercado do boi gordo visa atender a demanda externa, que vem se recuperando desde o fim do embargo chinês à carne bovina, em meados de dezembro passado.

Exportações de carne bovina

Nos primeiros 5 dias úteis de janeiro, os embarques somaram 35,48 mil toneladas de carne bovina in natura, com receita média de US$ 179,27 milhões, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). A média diária embarcada no período foi de 7,09 mil toneladas, com avanço de 32,2% sobre a média exportada em janeiro de 2021, de 5,3 mil toneladas/dia.

“A retomada da China às compras de carne bovina brasileira deve incrementar os resultados das exportações, como já observado na primeira semana do ano”, ressaltam os analistas da IHS.

Escalas mais confortáveis

Com as escalas levemente mais confortáveis, os frigoríficos passaram o dia em observação. Algumas plantas ainda realizaram negócios de R$ 350,00/@ para animais destinados à China, entretanto, há dúvidas quanto à força para o rompimento desta barreira a curto prazo.

Conforme é possível ver na imagem abaixo, os frigoríficos no sudeste e parte do centro-oeste, conseguiram avançar e estão atualmente girando em torno de 9 dias úteis.

Giro do Boi Gordo pelo Brasil

Em São Paulo, no interior do estado, os preços ficaram em R$ 342@, contra R$ 340 da sexta-feira.

No triângulo mineiro negócios em R$ 335, estáveis.

Em Goiânia, cotação estável em R$ 325/@ a prazo.

Em Mato Grosso do Sul, o boi gordo ficou posicionado em R$ 323/@ a prazo.

Em Mato Grosso, a arroba foi indicada em R$ 314 a prazo.

Atacado

Mercado atacadista inicia a semana apresentando preços acomodados, a tendência de curto prazo ainda remete a pouco reação daqui até a virada de mês.

Sendo assim, alguns dos principais cortes bovinos comercializados passaram por reajustes positivos nesta terça-feira, como a ponta de agulha e o dianteiro, entretanto a carcaça casada bovina permanece cotada em R$20,50/kg. De modo geral, os preços permanecem firmes e com patamares elevados, mesmo com o escoamento evoluindo de forma lenta.

Fonte: Compre Rural. Imagem principal: Depositphotos/es@neopix.com.br(Gildor Erich Morais Sacco).


Compartilhar

One thought on “Arroba do boi gordo pode disparar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: