Substituição do leite de vaca por Nattimilk potencializa desempenho zootécnico das bezerras

Compartilhar

Comum nas propriedades leiteiras, o aleitamento das bezerras diminui o volume de leite disponível para comercialização, aumentando os custos e impactando na lucratividade da fazenda e também pode limitar o desempenho produtivodos animais. “Os bezerros são mamíferos e, como tal, estamos acostumados a criá-los com o leite da própria mãe, sejam vacas de leite ou de corte. Ocorre que na natureza o leite apresenta uma composição mais densa em energia, especialmente em gordura, o que leva à criação de animais com maior massa gorda, fato natural para proteção da cria em situações de desafios naturais, mas que pode comprometer o desempenho produtivo das futurasvacas”, explica o engenheiro agrônomo, Wiliam Tabchoury.

A opção mais rentável é a adoção de formulações de sucedâneos lácteos, que possibilitam o correto desenvolvimento das bezerras, garantindo melhores índices produtivos na fase adulta. “A formulação do Nattimilké mais robusta do quea composição do leite, incluindo a adição de vitaminas, minerais, maior nível de lactose, inclusão de 4 aminoácidos essenciais, acidificantes, que promovem a maior proteção intestinal e promotores de crescimento. Seu uso proporciona a produção de bezerras mais saudáveis, que se tornarão vacas mais produtivas, com melhor desempenho zootécnico e maior rentabilidade aos produtores”, assinala o especialista da Auster.

Tabchoury diz que o sucedâneo é um “suplemento” estável para as bezerras, já que não provoca alterações na nutrição, nem no metabolismo do animal. Além disso, garante que as bezerras estejam livres de contaminantes e patógenos, promovendo redução da mortalidade com doenças, menos gastos com tratamentos e, até mesmo, da idade ao primeiro parto. 

“O sucedâneo lácteo Nattimilk, da Auster, contribui para o maior desenvolvimento de massa magra nas bezerras. Isso ocorre porque a sua formulação contém um nível mais elevado de lactose, relação mais estreita entre proteína e gordura (que é micro-encapsulada), melhorando a sua digestão e aproveitamento. Bezerras com mais massa magra terão maior capacidade corporal e, por consequência, maior potencial futuro de produção de leite. O Nattimilk é o único sucedâneo lácteo do mercado desenvolvido para enfrentar os desafios da criação de bezerras em clima tropical e úmido”, pontua Wiliam Tabchoury.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: